Les Misérables: Saiba Mais Sobre Este Maravilhoso Espetáculo!

Les Miserables (Os Miseráveis), é um romance francês de Victor Marie Hugo, publicado pela primeira vez em 1862, e é considerado uma das maiores e mais importantes obras do século XIX.  A primeira adaptação do livro para uma peça musical, foi feita em 1980, em Paris, e se tornou um dos mais bem sucedidos musicais da história. A obra também ganhou inúmeras adaptações cinematográficas, teatrais e televisivas.

A versão teatral sendo apresentada atualmente, é uma produção da Broadway, que foi traduzida para mais de 22 línguas, e levada para 44 países diferentes, cativando um público de mais de 70 milhões de pessoas. A peça tem aproximadamente três horas de duração, é totalmente cantada, dividida em dois atos e está em cartaz no Teatro Renault até Dezembro de 2017 em São Paulo – Capital.

Entrada do Teatro Renault - Les Miserables

O ocorrido se passa na França, entre a Batalha de Waterloo (1815) e os motins de Junho de 1832, e ilustra a vida de diversos personagens e suas dificuldades. A história gira em torno de Jean Valjean, um ex-presidiário condenado a 19 anos de prisão por roubar um pão, e que é perseguido durante anos por  um oficial da polícia chamado Javert.

Entre os personagens, temos também Fantine, e sua filha Cosette, Enjolras, que é o líder da revolução, Marius, um dos revolucionários, o casal Thénardier e seus filhos Éponine e Gavroche.

Os miseráveis - Peça no teatro Renault

A primeira parte, conta a história inicial de cada personagem principal, onde Jean Valjean recebe a condicional após seus anos na prisão, mas é rejeitado pela sociedade por ser um ex-prisioneiro. Não tendo nenhuma forma de se sustentar, ele havia cansado de ser tratado como um cachorro, e estava se tornando mal, até ser acolhido pelo bispo Myriel, que o ofereceu comida, e um teto para dormir. Vendo a humanidade daquele homem, Jean Valjean percebeu que ainda havia uma chance de se redimir, então mudou de nome, e começou uma nova vida, como um homem bom.

Vanjean montou uma fábrica, onde contratava os pobres, para que eles pudessem se sustentar, e uma de suas funcionárias, era Fantine, uma mulher boa e gentil que trabalha para sustentar sua filha Cosset, que mora com o casal Thénardier. Mas o que ela não sabia, é que eles ficavam com o dinheiro e tratavam sua filha como escrava.

Quando um funcionário da fábrica descobre que Fantine tem uma filha bastarda, ela é expulsa, e sem meios de conseguir dinheiro para sustentar sua filha, ela vende os cabelos e um colar, mas isso não era o suficiente, então ela passa a se prostituir, mas acaba adoecendo.

Um dia, enquanto fugia da perseguição de Javert, Jean Vanjean encontra Fantine, e a reconhece. Vendo a situação da mulher, ele se sente culpado pelo ocorrido, e a leva para o hospital, mas ela não melhorava, e em seu leito de morte, pediu que Jean cuidasse da menina. Após jurar que cuidaria da menina, ele encontrou Cosset, e a tirou dos Thénardier, passando então a cuidar dela como sua própria filha.

Anos depois, durante uma vistoria num bairro pobre, o polícial Javert encontra Vanjean, que imediatamente tenta fugir com Cosette, já crescida, para um lugar em que possam viver em paz, mas em meio à confusão ela encontra o jovem Marius, e eles se apaixonam. Éponine, que ama Marius, fica arrasada, mas o ajuda a se aproximar de Cosset. Depois disso, começa a revolução, e termina o primeiro ato.

Os miseráveis - Teatro Renault

A segunda parte, tem o desfecho tanto da revolução quanto da história dos personagens. Mas não vale dar spoiler, não é mesmo?

O elenco é grande e dá muito movimento no palco, as músicas em coletivo tem um coral incrível, e os solos transmitem muita emoção. O cenário, é cheio de representações luminosas, coloridas e as construções se adaptam de acordo com o foco da história, onde os atores interagem com muita frequência, acrescentando muita beleza visual na apresentação. A sincronia das músicas e coreografias é sensacional, e transmitem muito bem os sentimentos que propõe em cada momento. A peça também conta com uma orquestra ao vivo, localizada abaixo do palco, fazendo com que a dramatização seja ainda mais intensa.

O elenco pode ter algumas mudanças em alguns dias de espetáculo, mas isso acontece no caso dos protagonistas, que são os que mais cantam e tem mais solos. O ator oficial da adaptação brasileira de Jean Valjean, é Daniel Diges, um ator espanhol, que atuou como outro personagem desta peça na Espanha.

Animados para saber o fim dessa história? Nós do eVídeo super recomendamos!

Serviço:

Teatro Renault
Av. Brigadeiro Luís Antônio, 411, Bela Vista
5as e 6as às 21h
Sáb. às 16h e às 21h
Dom. às 15h e às 20h
Informações: Divulgação

Elenco principal: Daniel Diges (Jean Valjean) / Nando Pradho (Javert) / Kacau Gomes (Fantine) / Clara Verdier (Cosette) / Laura Lobo (Eponine) / Filipe Bragança (Marius) / Pedro Caetano (Enjolras) / Ivan Parente (Thénardier) / Andrezza Massei (Madame Thénardier).

Fernanda Pereira

Fernanda Pereira

Designer, graduanda em Produção Multimídia e produtora de conteúdo. Colecionadora, amante de tecnologia e como todo bom nerd, gosta de séries, filmes, livros, games e animações.
Fernanda Pereira

Fernanda Pereira

Designer, graduanda em Produção Multimídia e produtora de conteúdo. Colecionadora, amante de tecnologia e como todo bom nerd, gosta de séries, filmes, livros, games e animações.

Discuta no Site

VOCÊ PODE GOSTAR TAMBÉM