Rick and Morty é uma animação do canal Adult Swin lançada em 2013 e tem 2 temporadas agora disponíveis na Netflix. A animação é exclusiva para o público adulto e conta com situações bizarras e insanas da dupla que conquistou milhões em todo o mundo.

Voltando a falar de Gazorpazorp Rick and Morty, o desenho mostra um pouco do dia a dia de Rick, um clássico gênio cientista de ficção de polpa. O velho maluco de jaleco, que nos lembra o melhor estilo Doc. Brown de De Volta para o Futuro.

Nos identificamos de vez em quando também com seu neto, Morty, que faz o papel de sidekick de Rick. Temos de deixar bem claro que Rick não é um herói. Dizer que ele é um antiherói é de certa forma, um elogio. Ele tem um passado misterioso, foge da polícia espacial, só faz coisa errada o tempo todo e por todo o multiverso. Certas vezes nos deixa com a mesma cara de Morty, descobrindo coisas horríveis sobre Rick durante sua jornada.

Tudo de mais belo e terrível que o conceito de multiverso pode oferecer.

Imagine conhecer uma versão de você mesmo só que em forma de escada. Imagine poder conhecer versões bizarras de si mesmo? Algumas delas que você preferiria nunca ter visto e que não pode ser desvisto.

O conceito de multiverso é bem conhecido pelo público nerd, acostumado a lidar com histórias que explorem múltiplas realidades e possíveis destinos e a produção brinca com isso de um jeito muito inteligente, com um passo muito rápido e um caminhão de referências a diversos clássicos da cultura pop, como A Mosca, Star Trek, De Volta para o Futuro, Flash Gordon, Star Wars e diversos programas conhecidos americanos.

O didatismo na animação fica sutil, se limitando ao aprendizado de Morty ao entrar em contato com toda a sorte de coisas estranhas. A aventura está logo ali, ficamos com aquela sensação de que estamos explorando mundos bizarros e inimagináveis junto com os dois e certas vezes ficamos meio chocados com o peso das histórias e do quanto a animação faz a gente pensar sobre a vida e tudo o mais. Há alguns episódios em especial que nos fazem pensar por alguns dias sobre o tema. Não vou adentrar em detalhes, pois vale a pena assistir.

Ricky And Morty - Desafia toda a lógica

Rick faz tudo isso com seu intelecto e a ajuda de uma arma criadora de portais, ao melhor estilo do game Portal. Sua arma pode levá-lo a qualquer local no multiverso com um simples toque. O que há do outro lado sempre é uma nova surpresa. O nível de detalhe na animação, o nível de absurdos e referências cruzadas é impressionante.

A gente se sente muitas vezes como se estivéssemos observando um quadro de Onde Está Wally, procurando conexões, reconhecendo padrões e ficando embasbacado com o efeito visual de diversas cenas, cheias de cores, formas diferentes, muito bem produzidas, tal qual uma viagem de ácido pela ficção científica em forma de desenho animado. Há diversos episódios tristes também, em que ficamos perplexos com a falta de empatia que Rick pode ter com os outros e em certas horas ele mostra sutilmente que tem coração sim, mas não quer dar o braço a torcer.

Os trabalhos de dublagem no Brasil costumam ser muito bons, especialmente em animações, sempre costumo assistir dublado, mas nesse caso eu acabei assistindo legendado e adorei. Descobri somente depois de assistir vários episódios que a dublagem em inglês, tanto de Rick quanto de Morty é feita pelo co-criador da animação Justin Roiland. Acho esse detalhe um grande diferencial para assistirmos no idioma original, pois ele faz um trabalho sensacional colocando todos os trejeitos nos personagens. Rick com seus arrotos e voz rouca de bêbado e Morty com uma gagueira única.

Resultado: fiquei completamente viciado com essa viagem que a série nos traz, rolei de rir com diversos episódios e já estou no aguardo da terceira temporada pintar o quanto antes na Netflix.

Agora…   Show me what you got!